sexta-feira, 22 de junho de 2007

Até Sempre!

De volta, após duas semanas de stress, essencialmente por causa dos exames. Um deles correu bem, o outro não. Mas isso agora também não interessa.
Parece impossível, mas já estamos de férias! E isto será bom ou mau?
Em qualquer outro ano, estaria feliz e entusiasmada, mas agora não me sinto assim. Antes pelo contrário, sinto um vazio aqui dentro, alguma tristeza e sobretudo medo! O vazio não consigo explicar a que se deve; a tristeza é por ter que despedir-me de algumas coisas; o medo deve-se a tudo aquilo que tantas vezes já disse e que é óbvio.
Como passaram 5 anos assim tão rápido? Ainda hoje me lembro do 1º dia que entrei naquela escola, de todos os medos que senti na altura, pois ainda hoje os sinto, do sofrimento por que passei naqueles primeiros dias (e sempre)...
Quais as diferenças entre essa altura e hoje? Na verdade não me apercebo de grandes diferenças...não sinto mudanças, não sinto evoluções. Cresci, sim, mas continuo a sentir-me aquela criança insegura e indefesa. Quanto aos outros vejo muitas modificações...todos mudaram e isso é normal. Mas eu não mudei.
Não posso dizer que fui feliz ali naquela escola, mas também não o seria em nenhum outro lugar. Portanto, sei que vou sentir saudades e vou recordar tudo o que vivi ali, até mesmo os maus momentos, embora com alguma tristeza. Mas é com esses piores momentos que vamos crescendo, que aprendemos, que nos apercebemos da realidade e das dificuldades da vida.
Os bons momentos, esses sim, serão recordados com alegria e muito carinho, porque são esses que nos trazem as recordações mais felizes.
Nunca esquecerei todos aqueles que sempre me apoiaram, que sempre estiveram ao meu lado, que fizeram tudo para que eu estivesse bem. Não foram muitos, mas os suficientes para me mostrarem que ainda existem pessoas em quem posso confiar. E a esses um grande Obrigada!
E agora chegou a altura de mudar de escola, altura de enfrentar mais uma vez tudo aquilo que mais temo, altura de pensar em tantas coisas em que não queria pensar já.
Vai custar, vai ser difícil, vai doer...mas quando lá chegar terei tempo para tudo isso...chorar, sofrer, pensar, enfrentar...não sei o que faço, mas não posso pensar nisso agora...tenho que aproveitar estas férias e mais nada!
Não haverão mais aqueles momentos...daquela escola apenas restarão as recordações boas ou más...não importa...foram cinco anos da minha vida, mesmo que seja pouco, já foi algum tempo...conheci pessoas que hoje são indispensáveis, e mesmo que naquela altura não me tenha apercebido, seria impossível viver sem elas...e uma delas és tu, Alexandra, Xana, como preferires. Tu és a minha melhor amiga, a maior de todas, a mais especial...por favor, não duvides disso! só te idolatro a ti!! :P adoro tar contigo e és essencial na minha vida...acredita!! és tão importante para mim...preciso tanto de ti!!! Achas que alguma vez te mentiria?? :(
E foi assim que tudo passou...não vou dizer adeus, porque isto não é um fim, não é nenhuma despedida definitiva. Sei que vou continuar a ver aquelas pessoas, embora não seja a mesma coisa; sei que vou continuar a ter as amigas mais próximas comigo, sei que não é o fim do mundo. Mas é uma mudança, o fim de uma etapa e o início de outra. Mas seja ela difícil ou não, eu terei que aguentar!
Desejo a todos umas boas férias (ainda não me mentalizei que elas já chegaram), divirtam-se, aproveitem e descansem!
A tudo, ao Instituto Vasco da Gama, a todas as pessoas que conviveram comigo e com as quais provavelmente não voltarei a estar, a todos os colegas: ATÉ SEMPRE!

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Fingir que está tudo bem é o melhor remédio...

Sem nada de especial para dizer...Apenas para actualizar.
Em época de estudos, com exames «à porta»...sim, ando muito mais ansiosa e nervosa por causa de tudo isto...mas há-de passar!
Esta fase é complicada...fim de ano, despedidas, etc. ...Nunca mais nada voltará a ser o que era*
Mas lá vou tentando manter a calma. É preciso paciência...querem que seja optimista...'tá bem, não prometo sentir-me optimista mas posso tentar mostrá-lo (mas de que adianta?) .

Força para quem precisa (incluindo eu mesma)...a vida é passageira, não podemos desperdiçá-la... (e eu que sou especialista nisso...xD)

Boa sorte para todos, bons estudos!!


(Prometo fazer um post melhorzito um dia destes...quando estiver mais inspirada...agora só vejo Matemática e Língua Portuguesa à frente...lol...realmente, que monotonia :S)






. Isto não é o fim, mas sim o início .

terça-feira, 5 de junho de 2007

Quantas vezes vais olhar para trás,
Estás preso a um passado que pesou
Quantas vezes vais ser tu capaz,
Fazer sair quem por engano entrou

Abre a tua porta,
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto,
Talvez o segredo
Alguém te quer falar

Olha em frente e diz-me
Aquilo que vês,
Reflexos de quem conheces bem
Ouve essa voz, é a tua voz
Atenção e a razão que tens

Abre a tua porta,
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto,
Talvez o segredo
Alguém te quer falar

Deixa o mundo girar para o lado que quer
Não podes parar nem tens nada a perder
Estás de passagem,
Não leves a mal se te manda avançar
Talvez seja o sinal que não podes parar,
Estás de passagem

Vai aonde queres
Sê quem tu quiseres
Estende a tua mão
A quem vier por bem

Abre a tua porta
Não tenhas medo
Tens o mundo inteiro
À espera para entrar
De sorriso no rosto
Talvez o segredo
Alguém te quer falar

Deixa o mundo girar para o lado que quer
Não podes parar nem tens nada a perder
Estás de passagem,
Não leves a mal se te manda avançar
Talvez seja o sinal que não podes parar,
Estás de passagem

...

só de passagem estou de passagem para outro lugar.


Deixa o mundo girar »- Polo Norte)

.
Sabem como são aqueles dias em que nos sentimos tão pequenos como se tudo pudesse atingir-nos, como se tudo pudesse derrubar-nos, como se tudo fosse mais forte que nós? pois, é assim que me sinto... tão pequena, tão insignificante...que tudo me amedronta.
O fim está cada vez mais próximo e é impossível não pensar em todas as mudanças que vão ocorrer. A única palavra que pode descrever o que eu sinto é «MEDO»...este MEDO tão grande, esta angústia que ele provoca, este desespero que tantas vezes sinto.
O MEDO controla tudo na minha vida...controla a minha maneira de ser, controla a minha maneira de estar, controla a minha maneira de pensar, controla a minha maneira de viver. Por causa dele eu não sei Viver, não sei aproveitar o melhor da vida, não consigo sentir-me bem.
Muitas pessoas continuam a achar que tudo isto é uma opção de vida, que eu escolhi ser assim... Sinceramente, acham que alguma vez pensei que isto pudesse tornar-me feliz? Nem nunca pensei, sequer! Isto não é algo que se pense...não é raciocínio! São impulsos, são «ordens» que a mente nos dá.
Todas as pessoas são «comandadas» pela mente, afinal é ela que nos faz agir como agimos. Tudo o que faço é como se na verdade não fosse eu a fazer...é como se algo o fizesse por mim. E para mim não há angústia maior que esta.
Garanto-vos que mesmo que tentem, nunca vão conseguir entender estes sentimentos...por mais descrições que eu faça, por mais coisas que eu diga, apenas quem vive amedrontado por um problema destes, poderá compreender-me. Nem vale a pena tentarem pôr-se no meu lugar...porque não é só o «ficar calado» durante um dia inteiro (podem até tentar fazê-lo, mas para vocês isso será apenas um «teste»)...o problema em si está naquilo que o «obstáculo» faz sentir...aquele nervosismo, aquele medo, aquela angústia, o «frio» na barriga, o «nó» no estômago, a «pedra» no coração...é precisamente isto que sinto...e depois aquela «voz» que me invade a mente, que grita cada vez mais alto até que eu não consiga ouvir-me a mim mesma. Aí já não sou eu que mando. É como se alguém mandasse em mim!
E tudo isto só para dizer o que já se sabe...mas precisava mesmo! e fiquei mais aliviada...não aguentava mais guardar isto só para mim.
Bem, vou indo...
obrigada pela paciência :) bom resto de semana!